24 de fev de 2011

Estoque de Madeira...

Tudo bem, o título foi infeliz, mesmo assim uma possível tradução literal de um dos festivais mais marcantes (historicamente/culturalmente falando) já realizados no mundo:

"Uma Exposição Aquariana: 3 Dias de Paz & Música"

Como era anunciado na época, o Festival de Woodstock...

Tudo começou quando John P. Roberts e Joel Rosenman resolveram investir em algo diferente, colocando, em jornais famosos,  o seguinte anúncio:

"Jovens com capital ilimitado buscam oportunidades de investimento legítimas e interessantes e propostas de negócios" (Não sei se era pretensão, ou se eles eram realmente endinheirados...)

Michael Lang e Artie Kornfeld responderam ao anúncio, e os quatro começaram a idealizar o que seria um estúdio em Woodstock... Acabou virando um festival de música e arte ao ar livre...(realizado em 1969, na cidade de Bethel, a uma hora de distância de Woodstock, por causa das reclamações do habitantes de Woodstock)

O festival, que foi um empreendimento, acabou virando um evento gratuito, por conta dos 500 mil presentes que acabaram por derrubar cercas e fazer sua entrada... com isso os organizadores do evento (que não contavam com tal público) não puderam providenciar todo o saneamento nessessário, fazendo com que os espectadores passassem por mals bocados por causa de comida e higiene. 

Apesar disso, vale dizer que sua importância e destaque, em maior parte, foi devido ao comportamento do público, que viveu e exemplificou na pele o lema do festival, (... Paz e Música) onde os hippies estavam em alta como um movimento de contracultura, (diz-se contracultura movimentos cujo objetivo é a mobilização e contestação social, indo de encontro a valores adotados pela sociedade "normal") sendo o festival, portanto, de grande importância por exemplificar a era hippie.

Essa importância foi tanta que em 70, foi lançado um documentário do festival que virou relíquia da biblioteca do congresso americano por seu significado cultural.

O festival, além de todo o contexto já tratado, foi excepcional em termos musicais tendo a apresentação dos seguintes artistas :


Então, aos senhores ai de cima:

Parabéns por fazer história com boa música...

Placa comemorativa no local


18 de fev de 2011

Guarda Jovem...Jovem Guarda

Bem como disse no post anterior, vou começar, a partir desse post, uma análise/descrição de movimentos musicais que fizeram diferença na história e nas pessoas.


O de hoje é a Jovem Guarda.

A Jovem Guarda foi um movimento não apenas musical, mas também comportamental realizado na segunda metade dos anos 60 no Brasil, e tinha como característica marcante as letras descontraídas voltadas para os jovens que compunham a dita guarda.

O movimento não tinha interesse político sendo influenciado principalmente pelos Beatles e por Elvis Presley e outros "roqueiros" da década de 50 e 60, mais especificamente Celly Campelo (Tomo banho de Lua...), a precursora do Rock no Brasil.

O nome do movimento foi originado por causa do programa homônimo que foi ao ar na Rede Record em 1965 e antes disso pelo discurso de Lenin que dizia que a velha guarda estava ultrapassada e o futuro pertencia à jovem guarda. (Isso me leva a pensar o que será do nosso futuro... mas enfim...)

O movimento e a música que se originou do mesmo, são freqüentemente chamados de Iê-Iê-Iê, pois em meados de 1963, os Beatles (cuja música foi influência para o movimento) lançaram o álbum "It's been a hard day's night" lançado no Brasil como "Os Reis do Iê-Iê-Iê". (Além disso, acredito que a música "She loves you“ [Yeah, Yeah, Yeah...] dos mesmos deve ter tido algo a ver com isso...)

Os principais artistas do movimento foram:
Celly Campelo, Roberto Carlos, Erasmo Carlos,Wanderléa, Vanusa, Eduardo Araújo, Silvinha, Martinha, Arthurzinho, Ronnie Cord, Ronnie Von, Paulo Sérgio, Wanderley Cardoso, Jerry Adriani, Rosemary, Leno e Lilian, Demétrius, Os Vips, Waldirene, Diana, Sérgio Reis, Sérgio Murilo, Trio Esperança, Ed Wilson, Evaldo Braga e as bandas, Os Incríveis, Renato e Seus Blue Caps, Golden Boys e The Fevers.

Entre os principais sucessos estão "Quero Que Vá Tudo Pro Inferno"; "Festa de Arromba"; "Pare o Casamento"; "Garota do Roberto"; "Biquíni de Bolinha Amarelinha"; "Meu Bem"; "Eu Daria a Minha Vida"; "O Bom"; "Roda Gigante"; "Rua Augusta"; "Namoradinha de um Amigo Meu"; "Ternura"; "O Caderninho"; "Tijolinho"; "Feche os Olhos"; "A Festa do Bolinha"; "O Bom Rapaz" e "Menina Linda".

O legado que o movimento deixou, são coleções inteiras de músicas que seus pais (e você também provavelmente, em "bailes" de família e afins) ouvem (não estou denegrindo, pelo contrário, estou encorajando-os a falar com seus pais sobre músicas que com certeza influenciaram a vida dos seus pais, e artistas Brasileiros que vocês ouvem afinal, esse era o começo do rock no Brasil...)

Além dessas coletâneas, o movimento deixou como legado artistas importantíssimos e músicas que marcaram época e fizeram história, sem contar que eles expressaram a realidade do Brasil na época, além de mostrar um tempo em que as pessoas ainda se preocupavam em se (e sua sociedade) expressar  através de sua música...

Fica aqui o meu agradecimento ao movimento, por me permitir ouvir canções tão divertidas e profundas (mesmo as que não são tão profundas assim...)


#Ouvindo Roberto Carlos - Parei... Olhei

7 de fev de 2011

Movie mentos musi kis

Já falei sobre letras e afins no Blog.. mas de alguma forma vou voltar ao assunto tentando ser superficial e não repetitivo...

Quando falamos de letras de músicas, temos que contextualizá-las... afinal foram várias as excentricidades da sociedade (ou do compositor...) que as fizeram ser compostas da forma que foram. Afinal os artistas colocam seus pensamentos (e/ou sentimentos) quando escrevem.

Uma coisa que percebi de um tempo para cá é que:

As pessoas querem estar inseridas na sociedade, querem ter seu espaço, querem fazer parte de algo grande, querem se encaixar em um grupo, tirar suas máscaras, expor suas faces e descobrir quem são...
No geral, essa motivação é boa e legítima e dá bons frutos, porém, dependendo do grupo ou movimento que se pretende seguir, pode-se ter resultados negativos de uma forma geral...
Não digo para não entrar nas "furadas", pois acredito que cada experiência que passamos nos faz crescer (ou diminuir) e molda nossa personalidade, porém tenha sempre em mente no que você está se metendo e respeite seus limites...

São determinados movimentos musicais (e/ou ideológicos) que moldam as letras dos artistas e são interpretados como mensagens, no geral, ideológicas, e por esse fato, pretendo falar de alguns (não todos porque são muitos movimentos...) nos posts posteriores.

Até a próxima!
Avant!


#Ouvindo Real Life - Send me an Angel